20 de jul de 2015

Books or Shoes?


 "Lá estava a Juliana em seu lugar, descendo a timeline sem parar, quando um compartilhamento sexista/preconceituoso veio lhe incomodar. O post na Ju, a Ju a ignorar".

 Pois é, mas chega um momento que isso te incomoda tanto, que ignorar já não é mais uma opção.
 Acho que todo mundo aqui já deve ter visto, ao menos uma vez, o seguinte post- ou parecido:

 

 Acredito que já tenha escrito sobre algo parecido aqui, mas reforçar esse tipo de ideia sempre é bom, não é.
 Meus queridos/as leitores/as, se você está entre os seres humanos que concordam com essas imagens, favor continuar com a leitura ou se retirar de meu blog, obrigada, de nada.
 Como sabem, eu sou super a favor do incentivo a leitura, principalmente em escolas, por que? Oras, porque livros são fontes de conhecimento, certo? Só tem pontos positivos em ler, correto? Sim, claro, basta jogar "benefícios da leitura" para encontrar várias pesquisas que apontam que essa atividade provém benefícios como melhora no raciocínio e dinamismo, com o passar do tempo e maior frequência, você mesmo pode notar a sua melhora na escola, fazendo redações e lendo questões mais rápido.
 Porém, o que ninguém nunca te disse, é que esse tipo de benefício pode ser adquirido com QUALQUER tipo de leitura ou exercício mental, como Sudoku, por exemplo. Atividades que estimulam o cérebro, em geral.
 "Mas e quanto ao conhecimento?", você me pergunta. Meus queridos, o nosso cérebro só consegue absorver, em média, 10% de toda a informação que você lê (se não me engano é 30% se você também escuta, 50% ou 70% com informação visual também, e 80% a 90% com dinâmica, algo por ai), por isso, é comum e normal você esquecer aquela matéria que você leu, fez a prova, e depois se perdeu no seu vórtex de memória (a não ser que você tenha uma memória fotográfica).

Algumas informações maneiras sobre "Memória" - aprendi no Nerdologia
 Nós não temos alguma parte do cérebro "responsável" por guardar memórias, que nós só temos isso porque criamos memórias através de ligações de neurônios (as sinapses), que você deve re-usar ou reforçar a ideia para que se torne algo fixo (a consolidação), e não se perca com o tempo (por isso o professor de matemática te passa uma penca de exercícios iguais) - que, aliás, grande parte disso, da consolidação, acontece quando nós dormimos, então, sim, dormir é preciso se você realmente quer ir bem na prova.
 Como a criação de sinapses é reforçada quando temos um sentimento forte envolvido, por isso você lembra mais de momentos muito felizes (viagens, quando você passa em alguma coisa) ou muito horríveis de sua vida (por causo do sentimento de medo e estresse). Na verdade, você lembra das sensações, sons e cheiro dos momentos que você passou, que estão ligados a outras ligações, que formam a sua memória, e cada vez que contamos uma história, você pode adicionar informações nova - o que pode acabar mudando a memória antiga. Nosso cérebro gosta tanto de te zuar, que pode até nos enganar com memórias traumáticas de situações pelas quais nunca passamos.
 Mas existem pessoas que não esquecem nada, como Solomon Shereshevsky, na verdade, ele não conseguia nem reconhecer as pessoas, porque com o tempo você muda em pequenas coisas, mas ele se lembra da primeira vez que viu alguém, além de ser incapaz de esquecer eventos ruins.
 Esquecer é aprender, porque você tem tendência a manter somente as ligações que usa no seu cotidiano e que tem algum valor, e "jogar fora" informações descartáveis (tipo opiniões alheias).

 Em suma, sim, ler irá te trazer muitos benefícios, porém, ler bastante não te torna "mais inteligente" do que outras pessoas, e se você se acha superior a sua coleguinha que só lê Capricho e Atrevida, querida, sinto lhe informar, mas essa postura já evidencia que não é bem assim.
 O que acontece é que você só, realmente, aproveita sua leitura quando a torna crítica (e isso é algo que leva tempo), e mesmo assim, os livros tendem a mostrar a visão do autor, que pode não se aplicar a suas crenças - onde esse tipo de leitura seria ainda mais necessário para que você não seja manipulado.

 Além de que, hoje eu sei que existem várias formas de "conhecimento". Por exemplo, eu tenho amigos que só leem os posts do Facebook, e mesmo assim tem certas ideias e visões, sobre determinados assuntos, bem argumentadas.

 O que acontece é que tendemos a querer rotular as pessoas, talvez, seja algo do nosso cérebro, fica mais fácil separar os tipos de amigos que você tem quando já estão rotulados - por exemplo, você saberia que não tem porque chamar um amigo "rockeiro" num show sertanejo, se talvez você nem tenha certeza se ele não gosta desse estilo musical.
 As pessoas veem como se uma coisa anulasse a outra.
 Se você gosta de rock, não pode ouvir funk. Se você gosta de usar shorts, fica estranha de saia. Se você gosta de looks all in black, não pode usar estampa. E se você gosta de ler, não pode gostar de sapatos, roupas e maquiagem.

 Tomo por exemplo essa imagem, que muitas garotas, amigas minhas, já vi curtirem e até compartilharem. Sabe como eu vejo isso? "Olhem para mim, sou diferente, sou cult". Fera, para que tá feio. Até porque essa imagem tem preconceito por todos os lados. Por um que julga garotas mais despojadas e que passam o tempo lendo de algo "defeituoso" (sendo que bem sabemos que existem várias assim, basta você jogar na tag do tumbler "readers" para ver, provavelmente estarei por lá) e julga garotas que gostam de se maquiar e roupas curtas de "cópias", produtos repetidos - pelo código de barras. Meus amores, se a garotas gosta dessas coisas, isso não a torna, automaticamente, fútil. Ideias você não consegue "ver" pelo que a pessoa usa, você descobre conversando com ela.

 Fera, esse povo precisa perceber que eu posso usar um salto alto cinza com glitter fabuloso e, mesmo assim, gostar de ler, desde Percy Jackson a Oliver Twist. E que depois dos 14, você pode gostar de rock e outros gêneros musicais, relaxa que ninguém vai deixar de achar que você é rockeiro e gótico, vlwflw.


Então. Já entrando nesse processo de aprendizado... vamos esquecer a que essa gente babaca compartilha essas coisas, e tentar disseminar o bom senso.

I am the wisest…for I know one thing, and that is that I know nothing.—  PlatoThe Republic

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia sem comentar!
Comentando vocês nos incentiva a continuar postando e podemos saber de sua opinião quanto ao post e/ou o blog!

OBS: Por favor. Vamos manter a postura.
Sem xingamentos com palavras de baixo calão