9 de mai de 2015

Odiar o emprego - Comofaz?



 Começo do ensino médio. No primeiro ano, depois de um tempo, você repara nas carinhas de "bebês"(salvo algumas exceções), nem parece serem os jovens que, em breve, irão em busca de um estágio. Muita coisa se passa na cabeça de uma pessoa que nunca trabalhou quando percebe que logo,logo o próximo a entregar um currículo será ele.
 Porém - sempre tem os "poréns"- eis que tu descobre que você odeia o emprego.
 Não, não estou me referindo ao "não gostar" - até porque é difícil você começar com algo que você goste logo de cara - tô falando de odiar mesmo.
 Se você nunca passou por isso, está passando ou não sabe a diferença para me dar uma resposta, este post é pra tu.


 Odiar é um sentimento mais profundo do que o simples "não gostar".
 Odiar é a dor no estômago domingo a noite, a tontura ao levantar segunda de manhã, os pensamentos negativos ao longo do trajeto, a vontade de se jogar do prédio comercial do centro de sua cidade, a vontade de estar morta no posto de trabalho, os minutos que você conta pra ir embora, a contagem para os feriados, as consultas médicas com a causa sendo "estresse" e, por final, as palavras de demissão na ponta da língua.
 Yeap, tudo isso. E digo por experiência própria. Se vocês tivessem ideia de como estou contando para o dia do término do meu contrato (em julho), para que eu possa achar outra coisa BEM LONGE de uma fábrica - gente, aquele lugar me ferrou psicologicamente, não sirvo MESMO pra trabalhar lá, reconhecer é o melhor.
 Contudo, devo dizer, sinto-me privilegiada ao poder dizer que não me afetaria em nada largar o emprego, nem todo mundo se encontra nessa posição - e nem estou me referindo aos pilastres de família, como pode ter vindo à mente de muitos, mas até mesmo da minha idade, como por exemplo alguns amigos meus que pagam o curso com o próprio dinheiro, até as escolas.

 Pra você que tá nessa situação e está lhe fazendo mal, fica aqui minha dica: Re-avalie, e veja se vale mesmo à pena passar por todo esse mal estar.
 Admito que me sinto idiota.
 O que não daria para ter tido a coragem de ter abandonado o curso e o trabalho no ano passado, quando percebi que odiava, e ter estudado pra valer pra fazer o vestibular pra faculdade que quero. Como me arrependo. Não existe maior perda de tempo no que aquele que você desperdiça fazendo algo que não gosta, não ligo e, mais, não pretende seguir na vida.
 Sei que muitos falam pra mim: "Nada é perdido nessa vida, blahblah, é conhecimento, blahblah" - um conhecimento que não cai no vestibular, nunca mais quero ver na minha vida, pretendo esquecer pra dar espaço para coisas relacionados ao meu curso, então - NÃO, FERA, NÃO.
 Mas esse é o meu ponto de vista diante dessa situação.... Anyway....

 E vocês? Já tiveram um emprego horrível? Saíram dele ou continuam na sofrência? Porque, olha, pra mim ainda faltam 11 semanas (acharam que eu estava mentindo quando falei que contava o tempo?)

Your thoughts affect your emotions. Your emotions affect your decisions. Your decisions affect your life.

4 comentários:

  1. Tá certinha. Desapega-desapega.

    Você mencionou o primeiro ano do ensino médio no post e eu me lembrei do quanto eu gostaria, naquela época — à qual eu me refiro como se fosse há muito anos, mas fazem só dois —, de ter um emprego. Tipo, eu estudo à noite e queria MUITO, então, trabalhar no período da tarde. Acontece que fui deixando de lado, deixando de lado, desanimando com o fato de que minha cidade, apesar de bonitinha, é um ovo onde não se consegue emprego da noite para o dia, passei pelo segundo ano ainda no desemprego... eis-me aqui, no terceiro. Ainda no desemprego. E agora trabalhar é a última coisa que eu quero, porque né, ano de vestibular. (Admiro as pessoas que conseguem estudar e trabalhar e fazer tudo direito num ano de vestibular, mas do jeito que eu sou atrapalhada, tenho que fazer uma coisa de cada vez.) No ano que vem, por outro lado... Vou mudar de cidade para fazer uma facul que preste e isso implica precisar de um salário próprio para não sobrecarregar meus pais demais com os meus gastos, então minha saga será iniciada novamente. Amém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredite em mim: Foi para o melhor.

      É inevitável que o trabalhe prejudique no desempenho na escola, me formei com vários "buracos", coisa faltando mesmo, e isso tá refletindo na minha dificuldade de acompanhar a matéria no cursinho. O melhor a fazer é se dedicar na escola mesmo.
      Comigo vai ser assim também, independente de onde passe, terei que trabalhar quando começar a faculdade, mas faculdade é diferente de colégio, dá pra você se organizar melhor, até o ambiente te deixa mais motivado, você vai ter colegas que vão estar ali pelo curso mesmo = pessoas com quem conversar sobre a matéria, e você vai ter a tranquilidade de saber que vai estar estudando pra uma prova por você e não pra superar concorrentes.
      É diferente, sacas?
      Tudo vai dar certo no final, tem que acreditar.

      Excluir
  2. Olha, tenho 18 anos e nunca trabalhei... (Na verdade nem sei de onde vc é, mas eu sou de Portugal e aqui é proibido trabalhar antes dos 18... mesmo assim os que têm 16 ou 17 ainda conseguem arrumar emprego no verão em cafés ou lojinhas e tals)
    E eu to no ultimo ano escolar... to morrendo, eu nao gosto de ser obrigada a estudar e vou ter 3 exames que decidem o rumo da minha vida... tudo isso ta me deixando louca sabe... '-'

    Vivo numa cidade no meio do nada e pretendo entrar na universidade de Lisboa em Setembro... isso fica longe de onde eu moro, vou ficar longe da minha familia (ainda por cima tenho uma irmã bebé e nao queria ser uma irmã ausente durante 4 ou 5 anos.......) e quem sabe, do meu namorado tbm...

    Completamente sozinha numa grande cidade... onde eu nem tenho sentido de orientação e tenho pavor de estar sozinha...
    E eu queria arranjar emprego no mês de Julho mas tenho medo de me dar mal pq eu nunca trabalhei... alem do mais é muito dificil de conseguir emprego nesta cidade pequena... mas se eu nao for trabalhar vou fazer voluntariado no canil pq eu quero fazer algo sabe? Eu nao quero parecer uma menininha mimada q nunca sujou as mãos (na verdade eu sujo as maos em casa mesmo no papel domestico mas nunca ninguem pensa nisso) '-'

    Eu nem sei o que falar mais........... Mas é o seguinte: vê isso como uma fase... Logo logo passa e vc nem lembra mais pq vai estar muito melhor na vida :3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SUA SORTUDA, levanta as mãos e agradece aos céus, porque, minha querida, trampar é uma parada que só se faz antes dos 18 por pura e simples super necessidade XD
      Aqui no Brasil a partir dos 15 você pode trabalhar como aprendiz ou estagiário, sendo que no primeiro caso já tem carteira assinada.

      Eu sei que se mudar para um lugar completamente diferente (que, se Deus quiser e eu parar de procrastinar, será o meu caso no final do próximo ano XD) dá um medo, mas nos fim das coisas dá tudo certo, a gente faz um samba e uma rebolada e tudo se acerta.
      Quanto ao trabalho... no começo é estranho, você fica meio perdida mesmo, normal, mas se dar mal? Acho bem difícil, só não pode deixar o medo te impedir de tentar pelo menos. É bom, sabe? Mesmo que você acabe odiando, porque te ajuda a descobrir qual seria o caminho melhor a se seguir.
      Relaxa, tu não é mimada não, só é jovem - que nem joy - então normal XD

      Excluir

Não saia sem comentar!
Comentando vocês nos incentiva a continuar postando e podemos saber de sua opinião quanto ao post e/ou o blog!

OBS: Por favor. Vamos manter a postura.
Sem xingamentos com palavras de baixo calão