6 de mar de 2015

MONEY

... Que é good nóis num have ...

 Já havia comentado em um post anterior sobre como o dinheiro me mudou, tipo, muito. Sério. De uma maneira que nem mesmo eu pude prever. Percebi que não foi somente eu também, mas muitos de meus amigos - se não todos- que começaram a trabalhar sofreram mudanças.
 Seja no modo de pensar ou até mesmo em outros aspectos, sobre o que comprar, yeap, mudamos.
 Tudo começa quando você arruma um emprego. Se você nunca trabalhou, vou te dizer mais sou menos como é: cada dia é uma batalha excruciante, ainda mais se você não gosta do seu ambiente de trabalho, e você pode pensar em desistir. Tipo, muito. Várias vezes. As vezes até imagina diferentes modos de você sair quebrando tudo pelo caminho, não que eu tenha realmente me imaginado fazendo isso, but...
 Se você é uma pessoa que, como eu, nunca realmente parou para pensar em dinheiro, sabe? Do tipo que sabe quando pedir pros pais ou não... e que se sente mal ao pedir... se prepare... porque se você tiver a mesma personalidade que eu... VOCÊ VAI FICAR LOCÃO COM O GOSTO DE LIBERDADE, SÉRIO. Quando o dinheiro caiu na minha conta, pela primeira vez eu fiquei com vontade de fazer compras e paciência pra escolher as coisas. Meus dias favoritos já não eram mais o meu aniversário ou o natal, mas sim o dia 5 e 20 de cada mês (por razões óbvias a este ponto, acredito eu).
 Vai ser um baque poder tocar uma roupa, olhar o preço e ver que tu tem dinheiro e não precisar treinar um olhar tocante para os seus pais (por exemplo, um dos melhores momentos de minha vida foi quando fiquei em dúvida entre duas blusas e pude levar AS DUAS! E ainda ter dinheiro pra sair com meus amigos). Poder sair sozinha para comprar as coisas, e com o próprio dinheiro, não ter que esperar datas em especial para gastar... é uma alegria e, ao mesmo tempo, uma maldição.
 Percebi que comecei a mudar quando fiquei mais exigente com marcas, e passei a pensar em coisas em que comprar mesmo não precisando. Pois é, aliás, agora tenho que fazer listas das coisas que preciso assim consigo me controlar melhor, e, pior, agora é frustrante não poder comprar tudo que quero.
 Isso é só um dos sintomas que podem vir a te atingir por causa desse papel roxo/vermelho/amarelo (pois é, nosso dinheiro não é verde, a nota de 1 real saiu de circulação faz tempo, sdds).
 E eu, criança tola, que me considerava incorruptível tive meu primeiro contato com dinheiro, dinheiro de verdade sem ser troco de pão, e percebi o quão rápido ele sobe à cabeça, tudo isso me deu uma outra perspectiva para olhar para as coisas e outras pessoas. Quem sabe, diminuído meu preconceito em relação à muitas coisas e me ajudou a entender as pessoas que querem enriquecer loucamente.
 Mas, de novo, o perigo está em deixar isso lhe subir à cabeça.


 Para não me demorar muito, só posso concluir com o seguinte pensamento:
 Dinheiro é bom, lógico. Ter o seu próprio melhor ainda, de certa forma te ajuda a madurecer e ficar mais atento e esperto ao tomar suas próprias decisões. Porém, não se deve tornar-se uma pessoa babaca por causa dele (como, as vezes, eu sou porque sou iniciante nisso, flw), porque de gente idiota o mundo já tá cheio, o que precisamos mesmo é de gente empática quanto aos outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia sem comentar!
Comentando vocês nos incentiva a continuar postando e podemos saber de sua opinião quanto ao post e/ou o blog!

OBS: Por favor. Vamos manter a postura.
Sem xingamentos com palavras de baixo calão