20 de set de 2014

It's okay not to be okay



 Andei lendo alguns blogs pessoais, como o meu, e tive um leve golpe de realidade ao perceber certos posts parecidos com os que ando colocando por aqui. Aqueles em que mostram o quanto uma pessoa pode se esforçar para parecer bem.
 E a postagem de hoje é pra você que, como eu, tá fazendo isso e tá se cansando.
 Sou do tipo que raramente se sente bem. Okay, não é pra tanto, mas quando eu menos me espero... lá estou eu, me sentindo deprê de novo, pensando sobre coisas e revendo problemas... E, pior, tentando esconder isso tudo dos meus amigos, dos meus colegas, dos meus pais.
 Engolir sentimentos não é fácil, eu sei, e o medo de descontar as frustrações e raiva nos outros é grande, por isso sempre me escondo com meus fones de ouvido (minha mãe sempre reclama disso, falando que é como se eu me isolasse e não pudesse ouvi-los... bem, talvez eu não queira ouvir e queira sumir por um tempo mesmo, mas acho que isso ela nunca cogitou).
 As vezes, quando parava para pensar em minhas atitudes, eu me sentia uma impostora, ou melhor, uma hipócrita ao passar uma imagem que não reflete quem sou e o que estou sentindo. Passando a falsa imagem de que está tudo bem, quando estou com dores, e não é daquelas físicas em que você coloca uma compressa de gelou, muito menos resolvidas tomando um Dorflex.
 Talvez seja por eu sentir que se contar meus problemas ninguém vai ouvir ou se importar, ou talvez porque todo mundo sempre passa a imagem de que está bem e eu me sinto na obrigação de estar também. É como dizem, ninguém gosta de pessoas que falam de problemas, até porque às vezes eu saio com os meus amigos para esquecer dos meus e acredito que eles fazem o mesmo.
 Mas isso não diminui o que sentimos, não é?

Você não está se matando fingindo que você está bem?
 Só gostaria de te dizer uma coisa, basicamente as palavras que eu gostaria de ouvir.
 Olha, eu sei que pode dar medo agir como se quer, principalmente quando você quer se isolar e colocar em palavras os sentimentos que tem, mas você precisa. É melhor que deixá-los revirar dentro de si. Quem se importa vai se manifestar, de verdade.
 Na verdade, acredito que se eu conseguisse ser clara e colocar em palavras a dor que sinto, o medo e as frustrações, principalmente para minha mãe, acho que ela iria chorar comigo. Eu choro bastante, só não na frente dos outros por causa dos meus problemas, mas sim por outras pessoas (então, se eu começar a chorar por alguma coisa relacionada a mim na sua frente, pode ter certeza, eu confio e tu e eu estou precisando de ajuda, ou um abraço). 
 Está tudo bem não se sentir bem. Ninguém tem a obrigação de ser completamente feliz e sorridente o tempo todo, é impossível e eu acho que nem é saudável. É bom chorar as vezes, ajuda a aliviar e colocar a cabeça no lugar. Cada um sabe a intensidade da própria dor.

 Porém, apesar da quantidade de problemas que você tenha, eu espero que, do fundo do meu coração, mesmo depois da mais terrível tempestade você possa sorrir e até mesmo ver graça em si mesmo, isso torna as coisas mais fáceis.

 
As vezes  a vida vai te derrubar, tudo bem. Mas o que não "está bem" é quando você deixa a vida te deixar derrubada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia sem comentar!
Comentando vocês nos incentiva a continuar postando e podemos saber de sua opinião quanto ao post e/ou o blog!

OBS: Por favor. Vamos manter a postura.
Sem xingamentos com palavras de baixo calão