16 de ago de 2014

Cansada de estar sempre Cansada


 Oi, como tu tá?
 Eu sei, sumi de novo, e pelos mesmos motivos de sempre: escola, trabalhos acumulados, tarefas que eu nem sei o porquê de eu tentar fazer se eu sempre faço errado, fingir que estudo para as provas quando na verdade leio 5 minutos o livro e dou a cara a tapa - até hoje sempre deu certo, mas só vou prestar o vestibular pra valer o próximo ano mesmo, então desanimei muito - e, principalmente, eu tentar dar um rumo na minha vida.
 O que não tem dado muito certo ultimamente.

 Parece que eu estou sempre cansada, odeio o que faço e por isso fico irritada e acabo descontando em quem não tem culpa e fico mal por causa disso, porque tenho poucos amigos (sou simpática até certo ponto, mas não consigo me dar bem com certas pessoas e nem mesmo conversar com outras) e somente uma família que se importam comigo, então eu sempre fico frustrada e nervosa comigo mesma, e não importa o quanto eu queria mudar e tente... não consigo mudar isso.
 Mas o que tem me deixado mais pra baixo mesmo é essa solidão constante (eu não quero me sentir sozinha, mas sim ser deixada sozinha) e frustração ao perceber que, até hoje, sempre deixei os outros decidirem por mim, não sou boa em tomar decisões e nem em fazer amizades sendo que só sou extrovertida quando estou na companhia de quem conheço há anos ou em um grupo de amigos, fora isso... parece que a minha fobia social só piora. E todos dizem que eu devia trabalhar nisso e tudo o mais, mas é tão difícil quando você nem sabe por onde começar... 
 E, sim, eu tenho transtorno de ansiedade social (apesar de eu tentar esconder isso ao máximo), com direito até a umas crises (ficar nervosa, gaguejar, esquecer o que ia falar, querer sair correndo, medo, ansiedade, pensamentos negativos sobre minhas ações e até mesmo a minha pessoa, angústia, etc) quando quero muito falar com alguém mas não conheço a pessoa ou quando sou obrigada a apresentar trabalhos pra sala.
 E, por causa disso.... sobre a "minha queda"/crush.
 É. Pois é.... Não sei onde que eu estava com a cabeça por achar que eu conseguiria conversar normalmente dessa vez... realmente... Sei que eu não deveria me surpreender com isso, que de certa forma já era esperado de mim, mas... por algum tempo eu juro que achei que conseguiria fazer isso sozinha, que eu poderia "me consertar" disso... obviamente, eu não consegui nem chegar na metade. Pergunto-me se as relações humanas deveriam ser tão complicadas assim e tão difíceis de se ter...

 Eu acharia tudo bem engraçado e ridículo se não fosse comigo, o que me faz voltar a pensar que a minha vida é uma daquelas séries pré-adolescentes onde o protagonista só se ferra... bem, essa sou eu. 
 Antigamente, eu achava frases como: "eu me perdi dentro de mim", "não sei mais quem sou", "não sei o que fazer da minha vida", "já não sei mais o que eu estou sentindo"... tão imbecis... mas agora que elas fazem sentido... me sinto tão estúpida por ter feito um pré-julgamento sem entender essas coisas... mas já faz um tempo desde que eu comecei a ver as coisas dessa perspectiva e quanto mais o tempo passa e menos eu quero pensar sobre (que é o que nós, seres humanos, geralmente fazemos sobre essas questões e dilemas... achamos que se não tocarmos no assunto ele desaparece, mas, bem... não é bem assim) pior fica.

 Por causa disso tudo... estou cansada, mas não somente cansada fisicamente como muitos supõe, mas, principalmente, mentalmente.
 Tudo que eu mais queria era... por um dia, quem sabe, me sentir bem, não pensar em nada, esquecer....

Eu sou o tipo de pessoa que é fechada demais. Que não conta seus problemas, que guarda pra si. Que tenta compreender os outros, mas que não se compreende. Que busca algo na vida, mas não sabe o que é. Que é feliz e triste ao mesmo tempo. Que sente tudo, mas não demonstra nada. Que segura às lágrimas o máximo possível. Que não gosta de ajuda. Que quer o impossível. Prazer esse sou eu.
— João Américo.

2 comentários:

  1. Eu sempre chego na conclusão de que a blogosfera é uma espécie de círculo, onde seguimos e somos seguidos num processo de identificação. Beleza, esta foi a coisa mais óbvia e patética que eu já escrevi em muito tempo, hahaha! O que eu quero dizer, é que da mesma forma que você parece me entender nos comentários (maravilhosos, amo que amo) que deixa no Jeito Único, eu sempre acabo me enxergando no que você escreve por aqui. Quanto à fobia social, por exemplo: não me considero uma pessoa tímida, mas a iminência de algumas situações causa um verdadeiro caos dentro de mim. Por exemplo, festas. Lugares cheios. Não sei se tenho horror a eles pela quantidade absurda de gente reunida que só liga para aparências e música ruim, ou se a origem da minha ansiedade é um pouco mais complexa do que isso, superando os meus ideais e partindo para o meu psicológico (se é que você me entende). Mas acho que sei qual é meu grande medo: ser julgada. É hilário: eu critico os lugares cheios de pessoas vazias, mas tenho medo de ser julgada por elas. Por que eu sou assim, Meu Deus?

    Só acho que ser adolescente é uma bosta.

    Picos de felicidade, picos de depressão, sufocos ocasionais.

    A parte boa dos picos é que nenhum nos domina por muito tempo. Toda fase ruim uma hora passa. Espero que sua fase ruim, sua canseira, passe também. Se não passar, tente conversar com alguém próximo, procurar ajuda profissional, ou sei lá. Você pode conversar comigo, também, por e-mail, Facebook, ou sei lá. Precisando, “tamo aí”.

    Comentado com carinho, Jeito Único

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não foi idiota, não, muié. É a mais pura verdade xD
      OMG! Eu amo escrever comentários em outros blogs - ainda mais no seu - mesmo eu não tendo muito tempo, sorry, mas não sabia se eu te compreendia, só sei que tentei - faz sentido isso produção?
      Acho que é porque somos parecidas, espero que no jeito "bom" de se ser - será que existe isso?
      O meu caso é uma fobia que se faz presente quando estou em multidões também, em um circulo com pessoas desconhecidas, quando vou falar com alguém que não conheço ou sou apresentada para alguém.... só isso kkkkkk
      Entendo, o meu tem um pouco do psicológico envolvido, mas isso é uma outra história XD
      Tenho um pouco desse medo, acho que é normal não querer ser julgada, ainda mais uma pessoa como eu que detesta ser o centro das atenções, até mesmo de fofocas, apesar de eu, realmente, não ligar para a opinião dasinimigas - LOL.

      Realmente.... é um bosta kkkkkkkkkkkkkkk
      Mas, sabe, se a gente tivesse um "sentimento constante", acho que as coisas não seriam as mesmas, as emoções não seriam, em outras palavras, "emocionantes" e a vida pareceria um pouco superficial.
      Porém, seria legal se os picos de felicidade fossem mais frequentes que o de depressão XD

      Também espero que passe, Lari...
      Eita, pior que eu estava pensando em contar pra alguém ou procurar essa "ajuda", ou talvez seja coisas da minha cabeça...
      Lari, tu é um amorzin, LET ME HUG U.

      Excluir

Não saia sem comentar!
Comentando vocês nos incentiva a continuar postando e podemos saber de sua opinião quanto ao post e/ou o blog!

OBS: Por favor. Vamos manter a postura.
Sem xingamentos com palavras de baixo calão