2 de mai de 2014

Continuo sendo idiota...



Atenção: Post pessoal. Se for pra julgar nem clica, porque não tô precisando disso agora.

 Quando criança, eu tinha uma "amiga" que sempre pisava na bola e me sentia culpada por causa disso, mesmo não sendo minha culpa, e pedia perdão por coisas que nem fiz.
 Uma vez, estava no quintal dos fundos, chorando por causa de uma dessas discussões. Naquela época, as coisas me afetavam com mais facilidade que hoje, e minha auto estima era ainda mais baixa, por isso tinha um espírito derrotista. Minha mãe nunca foi do tipo de passar a mão na cabeça e dizer mentiras confortantes, por isso ela disse uma coisa que me chocou na hora: "Para de ser idiota, Juliana. Ela é quem tá perdendo uma amiga, que de tão maravilhosa, chora por erros dos outros".
 Aí eu cresci. Não falo mais com a menina da história, e achei que havia mudado.
 Mas provei a mim mesma que não.
 Um dos meus maiores dilemas foi a minha personalidade. Com alguns amigos eu sou doce e sempre faço que pedem, educada e tímida (é mais com os que mal conheço), com outros sou uma palhaça que fala o que dá na telha, sarcástica e irônica, um pouco azeda eu admito. As vezes, me sinto uma falsa por isso, mas não sei como essas coisas funcionam.
 Só sei que, para ambos os meus grupos de amigos, sou dispensável.
 Sempre me senti dessa maneira. Se sou boazinha ou digo palavras "complicadas", me ignoram por ser chata, se sou mais sarcástica sou substituída por quem mal chegou. Talvez o problema seja comigo. Acho que é; Sou muito complicada, um quebra cabeça com peças faltando, confusa e chata, sério, apesar de ambos dizerem que sou "uma boa pessoa", então por que sempre sou excluída?
 Tenho duas grandes amigas que sei que nunca fizeram, e nem farão, isso comigo. Mas ambas estão tão longe, que só de pensar nelas tenho vontade de chorar. Porque sei que elas são as minhas amigas de verdade, aquelas que não se importam com esses meus dois lados e os conhecem, que sabem o porquê de eu ser assim, e me acham insubstituível.
 Ando me sentido tão sozinha ultimamente. Ninguém me compreende, estou presa em uma rotina infinita, tenho que tomar decisões importante, coisas para fazer e ninguém com quem contar.
 Por isso estou me tornando mais distante e, em outras palavras, desinteressada quanto aos outros. Meus sonhos parecem tão longe, e lágrimas me escapam em dias chuvosos quando ninguém vê.
 Esse é o problema.
 Ninguém vê. Ninguém nunca nota o quão vazia e triste eu estou. Dizem que se eu não falar nunca perceberão, mas como colocar em palavras minha confusão e o que sinto? Meus sorrisos vazios, pedidos de socorro silenciosos e expressões de solidão não bastam?
 E quando tentei contar a duas amigas a minha situação, o celular era mais importante. Devem me achar idiota por dizer essas coisas, de perder quem sou, mas para mim não é.
 Parece-me que certas pessoas só falam comigo quando lhes é conveniente, quando elas se sentem excluídas ou por obrigação.
 Por exceção de uma única pessoa que me ouviu sem me julgar, que me entendeu. Mas sinto que não devo depender dela, já que possuí seus próprios problemas e eu me sinto inconveniente por sempre falar de mim.
 Tenho vontade de gritar.
 Não sou interessante o suficiente? Mas nunca me deixam falar. Sou muito chata?
 Talvez seja.
 Por isso, tenho vontade de começar do zero. Já sentiram isso? Vontade de me mudar, de cidade, de preferência uma bem longe. Excluir meu facebook e recomeçá-lo. Apagar minha playlist do celular, que é velha, e colocar músicas novas. Cortar meu cabelo e, principalmente, decidir o que quero fazer e quem eu sou.
 Porque viver nessa incerteza machuca, faz mal, me deixa doente e com esses pensamentos deprimentes.

Eu existo. Eu amo. Eu choro. Eu vivo. Mas ninguém vê.
— Jhennifer Wernek

2 comentários:

  1. Também tenho dois lados bem fortes em minha personalidade. Minha atual melhor amiga, diz que eu sou a cara da contradição. Pois tenho um rosto fofo, um corpo feminino, mas sou cheia de opinião e de comportamento não tão feminino. Já me condenei muito por ser assim, mas hoje, eu sou a primeira a me aceitar.
    Eu sempre sofro só. Chorar então? Só. No máximo pra minha mãe. Se eu estiver bem na fossa mesmo. Quase morrendo de tanto sofrer. Você falou dos outros, mas olha, que tal você se abraçar um pouco? Pensar um pouco em você e por você?
    Eu já recomecei do zero duas vezes. Quer dizer, mais de duas. Mas de planejar e tal, duas. E a minha cidade é um ovo. E eu consegui. Recomeçar é difícil? É. Dói? Dói. Mas vale a pena. Se quiser recomeçar, você consegue também! ;) E decidir o que se quer fazer e quem se é, é importante. Dá foco, dá objetivo, dá chão.
    Espero que não tenha te feito se sentir julgada. Escrevi muito pois eu mesma já cansei de me sentir assim. Mesmo. E quem me conhece, sabe o quanto eu cresci. O que certas pessoas amadurecem em dez anos, eu amadureço em um. E eu te acho tão parecida comigo, minha nossa. Eu tenho vontade de abraçar e proteger gente que sente que nem eu. Pois eu sei que é confuso, eu sei como é se sentir assim.
    Mas acima de tudo: seja boa com você, tá? Sério mesmo. Eu realmente gosto muito de você, de verdade. Desejo que isso se resolva da melhor maneira possível. E vá fazer amigos novos. Pior coisa é gente que nos faz sentir de um jeito ruim. E amigo é só pro bem. E desculpa o comentário enoooooooorme. Mas quero mesmo ter ajudado de alguma forma. Mas nesse caso, lembre-se, quem dá as cartas é você. Não se deixe pra trás.
    Um beijo grande, moça. E luz, carinho e auto- conhecimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe, por causa dessas "coisas" que eu falei eu acho meio difícil eu me aceitar por completo, mas acho isso legal, sabe? Acho que que se eu não me aceitar eu vou querer mudar, e tem muitas coisas em mim que quero "consertar". Difícil mesmo é eu achar que os outros possam ver um pouco mais do que eu transpareço ser.
      Quero tanto recomeçar, sabe... mas algo me diz que não vai ser nesse lugar, porque não é aqui que tem o que eu quero ou é onde eu quero estar... Por isso é complicado, rs.
      Tudo bem, eu gosto muito de comentários longos, é sinal de que a pessoa leu e se importou com o que estava escrito XD
      Não sei se eu cresci... não me sinto desse jeito, embora todo mundo diga que eu mudei. Sei lá...
      Obrigada, Ana, sério. Porque não tem muita gente que me vê dessa forma, talvez nem eu, acho que é por eu ser sempre aquela que protege kkkkkkk
      Bem, realmente, acho que eu preciso fazer novos amigos, ou talvez ser mais clara com eles, porque eu meio que sei o que é ter um amigo confuso como eu, acabo deixando os outros confuso XD
      Obrigada, Ana, do fundo do meu coração, sua linda. Tudo em dobro pra tu, beijus <3

      Excluir

Não saia sem comentar!
Comentando vocês nos incentiva a continuar postando e podemos saber de sua opinião quanto ao post e/ou o blog!

OBS: Por favor. Vamos manter a postura.
Sem xingamentos com palavras de baixo calão