27 de abr de 2014

Chimamanda Adichie: O perigo da história única

Bem, pelo menos a maior parte do que nos é vendido

 Recentemente, assisti a um vídeo muito bom enquanto procurava por conteúdo para um trabalho de filosofia.
 Ele falava sobre como vemos as coisas de uma única maneira, muitas vezes devido as influências externas e imagens vendidas pela mídia, que fazem com que tenhamos somente uma única vista, um único olhar, sobre determinado país, determinada pessoa e até mesmo a nossa realidade.
 Incrível como durante o vídeo eu só conseguia pensar que era assim que sou, ou pelo menos era antes de assisti-lo, e senti muita vergonha de mim mesma. Até porque, eu vejo até mesmo meu próprio país ainda com um pouco de maus olhos, porque cresci ouvindo histórias do quão ruim ele é, de futebol, novela e literatura fraca, um país sem filósofos e sociólogos renomados e por isso eu nem deveria pensar em ser uma.
 Jamais teria descoberto os livros de André Vianco, visto os vídeos de Darcy Ribeiro, descoberto das boas peças de teatro e das super produções que temos, das músicas de Renato Russo e Lenine, se não fosse pela minha vontade lá no fundo de, alguma forma, provar que não era só isso e que estavam errados, apesar da minha arrogância e superficialidade de ainda não ver além, mas vamos trabalhando nisso aos poucos. De ter uma imagem pré-concebida dos outros países e outras culturas.
 Esse vídeo aumentou ainda mais a minha vontade de viajar o mundo.
 E descobrir novas histórias.
 "Histórias podem destruir a dignidade de um povo, mas histórias também podem reparar essa dignidade perdida".
  - Chimamanda Adichie 

2 comentários:

  1. Uau, que vídeo! No meu caso, o que me fez ver por mais de um lado ou não julgar tanto, foi saber que a verdade não existe ou que a verdade é o que o mais forte decide. Que ela até cita no vídeo.
    E isso vale pra tudo e a única história também. Até um tempo atrás, eu ainda era assim. É como quando você diz que gosta da Ásia e todos já possuem aquela ideia fixa na cabeça e mesmo que você diga "não é assim", elas se recusam a acreditar. haha
    O importante é saber reconhecer um erro e mudar. Acho que essa é a graça. Tanto que ela no vídeo diz que cometeu a única história com os mexicanos. Nós erramos e acertamos, é assim mesmo. O importante é sempre darmos o nosso melhor. Adorei o post! :D Nova afiliada! hahaha ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse vídeo é de mais.
      EXATAMENTE. É a mania de todos acharem que a cultura dos japoneses, chineses e coreanos é tudo igual, e não tem quem tire isso da cabeça do meu pai.
      Estou tentando mudar isso, mas vou admitir que é difícil acabar com certos esterótipos, mas tem que começar de algum lugar.
      Obrigda, Ana, sua linda XD <3

      Excluir

Não saia sem comentar!
Comentando vocês nos incentiva a continuar postando e podemos saber de sua opinião quanto ao post e/ou o blog!

OBS: Por favor. Vamos manter a postura.
Sem xingamentos com palavras de baixo calão