1 de mar de 2014

The Breakfast Club (O Clube dos Cinco)

Atenção!: Spoilers a partir do "leia mais"
O Clube dos Cinco (Ou "The Breakfast Club", no título original)

Gênero: Drama
Elenco original:  Emilio Estevez; Anthony Michael Hall; Judd Nelson; Molly Ringwald e Ally Sheedy
Roteiro e Direção: John Hughes

 Sinopse:
 Cinco adolescentes são suspensos por seus delitos na escola, como punição devem passar o sábado na biblioteca e escrever uma redação com mais de mil palavras sobre: "Quem eles pensam que eles são".
 Cada um representando um esterótipo de estudante.
 Mil palavras, nove horas, cinco pessoas e uma única coisa em comum: Todos possuem problemas.

TRAILER:
 Se você ainda não assistiu The Breakfast Club eu simplesmente não posso te reconhecer como um adolescente, ou, quem sabe, um ser humano.
 Okay, okay, estou sendo dramática (mas quando que eu não sou?), porém você está desperdiçando sua vida se você ainda não assistiu a esse esplêndido filme que, sem duvido, entrou nos meus TOP 10 filmes que mudaram minha vida e TOP 5 filmes favoritos.
 Apesar de se passar em um colégio de ensino médio na década de 80, a situação não mudou muito para os jovens de hoje em dia e a mensagem continua sendo impactante.

O Marginal, o Atleta, a Maluca, a Princesa e o Nerd
 O filme já começa com a chegada dos jovens a Shermer High School, logo de cara você acaba colocando rótulos em cada um deles.
 Era óbvio que não iriam se dar bem logo de cara, principalmente o marginal e o atleta, porém, a situação e o período juntos fez com que um laço fosse criado, mesmo que contra a vontade deles.
 Assim, ao longo da história percebemos o porquê deles estarem ali e, mais importante, COMO foram parar naquele lugar.
 Achei a história mais focada em John Bender, o bad boy e marginal da escola, aquele que começa a força-los a falar. Ele discute até mesmo com o diretor (o responsável por vigia-los, que abusa da autoridade e, ainda, ameaça Bender). Mesmo sem ele querer, acaba se abrindo, assim como os outros, e demonstrando que ele só é assim porque a casa dele é um inferno.
I don't give a shit 
 Temos, também, Andrew (Andy), o atleta que fica discutindo com Bender e obedece ao diretor, aquele que começou "certinho", mas acabou indo na onda do John de zoar o barraco. Porém, você acaba percebendo que ele não é "malvado" como todos pensam, e que só fez o que fez por pura pressão.

Suuuuper fazendo a redação

 Claire é a que representa as patricinhas e princesas da escola. Seu motivo é dado logo de cara: Ela pegou suspensão por faltar à escola e ir fazer compras no shopping.
 Uma garota convencida e, aparentemente, superficial, mas que, assim como Andrew, se mostra sob pressão dos outros também.

"Otários..."

 Allison foi aquela que mais me intrigou mais, pelo simples fato dela não falar, e somente ficar desenhando na folha que deveria fazer a redação. O que faz com que a considerem maluca.
 Ela parece tão distante, e fechada, mas na verdade se mostra uma pessoa de língua afiada e também com problemas familiares.

Pareço concentrada, mas só estou cantando The Smiths mentalmente

 E, por fim, aquele que alguém menos esperar encontrar em uma detenção: O nerd, Brian.
 O cara que está no clube de matemática, de física e mais outro chato que eu nem lembro o que era, minha relação com exatas não é assim tão boa. No inicio do filme já podemos notar a cobrança da família em cima de seus ombros.
 Ele parece ser o único interessado em fazer a redação.

I'm the best
 Sem perceberem, eles acabam fazendo uma "terapia em grupo". Contando todos seus problemas, seus segredos, e desabafando como eles se sentem com tudo isso...
 Eles acabam crescendo e entendendo tantas coisas sobre eles mesmos e, até mesmo, aqueles por quem passavam pelos corredores sem nem ao menos saber o nome.


 A trama e desenvolvimento do filme são incríveis. Os diálogos te prendem até o final.
 E, na minha opinião, a mensagem do filme não se retem somente no "arrancar rótulos" e no "julgar os outros pela aparência" (você sabe meu nome, não minha história e coisa e tal), mas também em algo mais importante:
  •  Os pais nem sempre estão certos, nem sempre eles escolhem o que é melhor para você. Como se pode perceber, a vida desses jovens em suas casas os deixam confusos, sob pressão e sufocados, mas ninguém vê isso, porque quando se olha para uma pintura, você só vê a imagem e não os sentimentos por de trás dela.
  •  Só você, e somente você, sabe até onde você pode aguentar e se não puder aturar tudo sozinho é bom ter seu próprio "clube" pra te apoiar.

 Amei cada minuto desse filme. Ele me mudou. Gosto de filmes assim.


 Trechos Épicos:

 Andrew: Meu Deus, nós seremos como os nossos pais? Claire: Não eu, jamais. Allison: É inevitável.
 Allison: Se você falar que não fez (sexo), você é uma puritana. Se falar que fez, você é uma vadia. É uma armadilha.
 Andrew: Todos nós somos bastante bizarros. Alguns de nós são somente melhores em esconder, isso é tudo.
 Allison: Minha vida doméstica é... insatisfatória.
 Andrew: Pra que você precisa de um R.G falso? Brian: Para que eu possa votar.
 Allison: Quando você cresce, o seu coração morre.
 Allison: Eu sou uma mentirosa compulsiva.
 Allison: Você tem problemas. Andrew: Oh, eu tenho problemas? Allison: Você faz tudo que todos falam para você fazer e isso é um problema. Andrew: Okay, tudo bem, mas eu não viro minha bolsa em um sofá e convido todo mundo a se intrometer nos meus problemas.
John: Hey, por que Andrew pode se levantar? Se ele se levantar, todos nós nos levantamos, será uma anarquia.

Sábado, 24 mar 1984. Shermer High School, Shermer, Illinois. 60062.
"Caro Sr. Vernon, aceitamos o fato de que nós tivemos que sacrificar um sábado inteiro na detenção pelo que fizemos de errado ... e o que fizemos foi errado, mas acho que você está louco por nos fazer escrever este texto dizendo-lhe o que pensamos de nós mesmos. Que te importa? Você nos enxerga como você deseja nos enxergar ... Em termos mais simples e com definições mais convenientes. Você nos enxerga como um cérebro, um atleta, um caso perdido, uma princesa e um criminoso. Correto? Essa é a maneira que nós nos víamos, às sete horas desta manhã. Passamos por uma lavagem cerebral."
Brian Johnson



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia sem comentar!
Comentando vocês nos incentiva a continuar postando e podemos saber de sua opinião quanto ao post e/ou o blog!

OBS: Por favor. Vamos manter a postura.
Sem xingamentos com palavras de baixo calão