22 de mar de 2014

Convergente (série Divergente) [SPOILERS]

One choice can transform you (Uma escolha pode te transformar)

 Lá estava eu. Feliz, feliz, alegre, alegre. Ainda lendo a continuação da série Divergente (Insurgente), quando por acidente a maldita aba de spoiler se abre.
 E meu coração se quebra em um milhão de pedaços diferentes.
 Você está avisado. A partir daqui são muitos spoilers que nem eu gostaria de ter recebido, mas precisava falar sobre isso e, bem, este é meu blog pessoal, oras.

 Como vocês estão sabendo, ou não, minha nova ficção é pela série de livros Divergente, escrito por Veronica Roth, ou como eu a chamo: Protótipo de John Green.
 O terceiro livro da trilogia, Convergente, fecha o ciclo.
 Após uma grande evolução da personagem principal, Tris/Beatrice, e seu namorado, Quatro/Tobias. Tris ,principalmente, que teve que enfrentar a perda dos pais, ela ter atirado em seu amigo (mesmo que ele estivesse sendo controlado), o suicídio de outro, a morte de tantos por causa da Erudição e, até mesmo, a traição de seu irmão. Ela apresenta um pouco mais de seu lado emocional, mas sem deixar de ser aquela Beatrice que não deixa ninguém vê-la chorar (além de Tobias).
 Falando em Tobias, a relação deles também teve altos e baixos e, o mais surpreendente, mesmo nesse cenário de revolução me soou tão confortável, como uma relação normal, porém seus laços também amadureceram ao longo dos livros.
 Isso também foi perceptível, apesar de que eles resolvia muitas discussões com beijos (o que me incomodou um pouco, porque não é assim também, tem que ter conversa!).
 Porém, o que realmente chamou a atenção foi como a principal evoluí tanto. Não somente em seu modo de penar, mas em seu agir também, quando ela para de ficar se lançando em missões suicidas pro estar sendo afogada de culpa pela morte de Will e de dor pelo sacrifício de seus pais.
 E, somente quando ela entende o significado do sacrifício deles, que ela é capaz de ter coragem o suficiente de fazer o seu próprio.
Desde que eu era jovem, eu sempre soube o seguinte: a vida nos machuca, a todos. Não podemos escapar disso.
Mas agora, eu também estou aprendendo isso: Nós podemos ser consertados. Reparar um ao outro.
 Sim, meus caros. A jornada de Tris Prior acaba com ela não como Audácia e nem como Abnegação, mas sim como Divergente, ou melhor, como Beatrice Prior.
 Seu último ato antes do fechar de cortinas foi seu sacrifício por seu irmão traidor, Caleb.
 Eu compreendo o porquê ela fez isso, eu aceito suas razões, mas, ainda assim, isso não impediu que lágrimas lavassem o meu rosto.
 Perdemos Al, Will, Marlene, Uriah e Lynn. E perdemos a própria Tris. Ou seja, Veronica matou QUASE TODO MUNDO. Isso eu achei que foi a pior coisa em um livro infanto-juvenil.
 O pior de tudo, foi a continuação até o fim do livro. Com Tobias.
 Ele sabia que ela o amava, ela sabia que ele a amava, um pertencia ao outro, mas ela preferiu dar a vida no lugar de uma pessoa amada por ela. Ele sabe que foi um ato de coragem, mas isso impede que ele (e nós, leitores) não sinta dor? Claro que não. E o pior é que a última coisa que ele disse para ela foi: "Te vejo logo".
 E ela admite, ela não queria deixá-lo.
"Se eu não sobreviver" falei "Diga a Tobias que eu não queria deixá-lo"
 Beatrice era uma personagem tão divertida, profunda, corajosa, forte e, até um pouco, tola (nem sei mais se é devido a sua idade), mas imensamente amável.
 Ela morreu como a Tris que Tobias amava, a altruísta, e não a suicida que vemos no segundo livro.
 Sei que formaram outros shipps de Quatro e outras garotas que restaram aí, mas meu shipp eterno será Quatro e Tris e, pode soar meio cafona, mas eles irão se encontrar sim no lugar pós vida (se é que existe) e não acredito que ele vá sair com outras garotas após a morte de Beatrice - soa meio egoísta, eu sei, mas não quero pensar que ele saia. "Nha nha, ele merece ser feliz", humph, nha nha, eu não ligo.
Isso me lembra que nenhum abraço nunca vai ser o mesmo outra vez, porque ninguém nunca vai ser como ela de novo, porque ela se foi. Ela se foi, e chorar parece tão inútil, tão estúpido, mas é tudo que posso fazer.
 Ao longo do livro eu pensei tanto, mesmo que esse não tenha sido o objetivo da autora. Com esse final like a Romeu e Julieta ainda. Me fez pensar sobre coragem, lealdade, altruísmo e sacrifício.
Há tantas formas de ser corajoso nesse mundo. Às vezes, coragem envolve arriscar sua vida por algo maior que si mesmo, por alguém. Às vezes envolve desistir de tudo que conhece, ou amou, por uma causa maior.
 Mas às vezes isso não acontece.
 Às vezes não é nada mais que ranger os dentes de dor, e trabalhar todo dia, em uma lenta caminhada por uma vida melhor.
 Esse é o tipo de coragem que devo ter agora.
 Eu chorei muito e meu coração doeu durante muito tempo, e é provável que quando eu comprar e ler o livro por inteiro eu chore novamente, mas escrever isso fez com que eu me sentisse melhor.
 Eu sei que muitos odiaram esse final e criticaram a autora como: "Ela só queria impactar, babaca", talvez ela só quisesse mesmo. Mas, devemos admitir, a trama é boa e bem escrita, também não gostei do final, mas gosto de pensar que se eu estivesse no lugar dela eu teria feito a mesma coisa. Divergente é uma trama fechada com começo, meio e, fim (?) Não! O que os livros me ensinaram foi muito além. Não me arrependo de ter me envolvido com os personagens ao ponto de chorar por cada morte. É isso que a guerra é: morte. Mas também foi as amizades que ela fez, as dificuldade pelas quais passou e deu a volta por cima, o romance que compartilhou com Tobias e o ajudou a superar seus medos e aos seus próprios. E, mais que isso.
 Ensinou-me que ser corajoso e altruísta é quase a mesma coisa.
 Que é preciso coragem para se levantar e se colocar a frente para defender outros que não conseguem.
 E, com esse final, que mesmo depois de anos, um amor verdadeiro não some após a morte.
 Posso não ter gostado do final, mas reconheço seu sacrifício e sua coragem.

Eu vou dizer pela última vez. Seja corajosa.

2 comentários:

  1. Também entendi o sacrifício, mas não queria que a Tris tivesse morrido. "Chorei muito e meu coração doeu durante muito tempo" :((
    É verdade que vai sair um 4º livro?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sei como é, eu também não queria que ela morresse, mas sabe... depois de um tempo eu aceitei isso. Porque exite certa beleza no que ela fez, e eu acho que faria a mesma coisa pelo meu irmão, e por esse pensamento isso me conforta.
      Tenho certeza que isso a confortou também.
      Dizem que sim, não sei. Parece que se for sair vai ser na narração do Tobias... ahh, sim, são os contos do 4, que é a história sob a perspectiva dele.

      Excluir

Não saia sem comentar!
Comentando vocês nos incentiva a continuar postando e podemos saber de sua opinião quanto ao post e/ou o blog!

OBS: Por favor. Vamos manter a postura.
Sem xingamentos com palavras de baixo calão