3 de jan de 2014

Aos Comparsas

Pra tu, E. Já que quebrou a perna XD

Primeiro post do ano no blog. E será uma homenagem a aqueles que me mantem aqui. Minha segunda família.

 Sei que nem todos vão ler, na verdade, não espero que nenhum de vocês leiam, mas eu sou assim mesmo, vivo escrevendo cartas ao ninguém em lugares onde todos possam ler.
 A carta de hoje é para os meus amigos, sim, amigos, não colegas (e, acreditem, um pouco mais de 85% é só colega que eu tenho). Meus comparsas no crime, aqueles que sei que posso contar qualquer coisa. Alguns estão comigo a anos, outros a meses, mas a significância que têm e provaram pra mim é que conta.
 Eu sou o tipo que não consegue falar direito com estranhos a primeira vez que vê, mas melhora depois, mas só depois, por isso posso passar a impressão delicada, quando só sou tímida mesmo, um ogro enrustido. Por causa disso teve uma época que nem amigos tive na escola.
 Sempre odiei ir pra escola.
 Mais ainda naquele tempo em que só queria ficar com meus amigos da rua, mas por sorte não fiz isso. Não, eu não tentei me aproximar de ninguém, porém uma garota fez isso. Lembro como fiquei irritada quando ela chegou do nada me perguntando o que eu estava lendo e dizendo o nome dela logo no primeiro dia. Acreditem ou não, eu era mais azeda quando criança, e a cada palavra que ela falava eu pensava: "okay, pode ir embora agora", mas ela não fez isso também.
 Eu a conheço a 7 anos, embora não a veja cara a cara a 3, nós ainda nos falamos, e quando uma chama a outra no face não tem ressentimento, conversamos como se esse tempo afastadas não tivesse existido.
Gosto disso.
 Minha amiga mais antiga eu conheço desde os 2 anos de idade, mas fingimos que nos conhecemos logo no primeiro mês.
 Essas duas, embora nunca tenham se falado, são muito parecidas para mim e igualmente importantes. Se elas não tivessem falado comigo, provavelmente, eu não estaria escrevendo isso e seria ainda mais amarga do que naquela época e arrogante. Por isso, não posso colocar em palavras o quanto eu agradeço pela existência das duas, sim, só isso, mesmo que não nos vejamos sempre o simples fato de saber que elas ainda existem e, mais que isso, que ela são minhas amigas é o suficiente pra mim.
 Além do amigo da minha amiga que conheci por mensagem e nos falamos até hoje. LOL, como consigo falar com ele normalmente? Isso é que é um mistério.
 Ainda tem uma amiga que é quase como uma irmã pra mim, como essas duas, que a conheci ano retrasado e em tão pouco tempo é como se pudesse contar tudo pra ela, assim como ela conta tudo para mim.
 Acho amizade uma coisa muito engraçada e complexa. Tipo, como consigo dizer todos os meus problemas para essas pessoas? Não sei como consigo confiar em todas vocês, ainda mais eu que sou bicho do mato mesmo...
 Caso me perguntassem quando que um colega se torna amigo, responderia que é a partir do momento em que esse mesmo colega nota que tu tá triste e deixa de fazer o que quer que seja só para te ouvir, sem julgamento e sem quebrar o segredo e com uma verdadeira preocupação.

 Então, tô aqui hoje só para deixar esse texto enorme, mesmo que não tenha citado todos, aos meus amigos. Porque, mano, se não fosse por eles acho que já teria desistido de tudo.
 Passei por poucas e boas, embora deteste falar, e acho que por isso eu era tão amarga. Sempre fui do tipo capaz de chorar pelos outros e nunca por eu mesma, até que essas pessoas me fizeram perceber que não tem problema chorar um pouco de vez em quando por mim.
 E, alguns deles, choraram por mim. Não me arrependo de sair de casa e sair correndo que nem retardada quando eles falaram que não estavam bem, e nem de chamá-los pra assistir um filme aqui em casa para se esconder dos problemas que enfrentavam na casa deles.

 Sei lá. Sinto um pouco de dor no peito em falar sobre eles, porque não os vejo faz tempo. Acho que faz parte de crescer, mas não queria que fosse. Esse papo de que: agora todos estão ocupados, é normal deixarem de se ver. Bem, não deveria.
 Mas, mesmo que eles não leiam isso nunca, no fundo eles sabem que a cada momento eu me lembro deles.

Não tenho vergonha de quem sou ou de quem ando ao lado. Ser anormal com os amigos é melhor do que ser anormal sozinho.
— Allax Garcia.

12 comentários:

  1. Linda homenagem. Em relação a isso eu ainda me considero imatura, pois, às vezes me pego pensando "Qual deles será que é meu amigo de verdade?", é complicado o fato de muitas pessoas terem aparecido na minha vida em 2013 e eu não saber se são ou não meus amigos, mas embora tenha me preocupado muito com isso, o que mais atormenta minha cabeça quando conheço alguém legal é "Será que eu sou uma amiga de verdade pra eles?"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Relaxa, não é imaturidade, é que algumas pessoas parecem bipolares mesmo e ai tu não sabe se o bicho gosta de tu ou te odeia (já fiquei muito com isso na cabeça).
      É difícil isso, sabe? "Amizade verdadeira", porque cada um tem sua perspectiva e as pessoas sabem muito bem encobrir seus reais pensamentos. Porém, só dá pra descobrir quem se importa de verdade com você quando tu precisa. Então, relaxa o corpinho que mais cedo ou mais tarde a gente acaba notando quem é de verdade u-u

      Excluir
  2. A amizade para mim, é algo incompreensível. Eu nunca a entendi. Tenho uma pessoa à qual chamo de melhor amiga, mas as vezes, me sinto tão distante dela, e depois tão próximo. A instabilidade da amizade me assusta! Adorei a homenagem, esses 15% tem sorte em te ter como amiga! :3

    ACESSO PERMITIDO: Desejo mortal.
    http://acessopermitidoblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Sei bem como é isso, só que no meu caso a minha melhor amiga está MESMO quilômetros de distância, e é muito raro nos vermos, só que é engraçado, porque sempre que nos encontramos é como se fossemos vizinhas de longa data.
      Obrigada, mas acho que por eles saberem disso se aproveitam de minha nobreza ¬¬
      *indireta para uma pessoa que nem vai ler isso aqui*

      Excluir
  3. Own, que lindo. Eu já quebrei minha cara tantas vezes por causa de certos "amigos", mas os meus melhores, ah... Tenho certeza que estão na lista dos melhores do mundo. É legal fazer esse tipo de coisa, já fiz algo assim lá no blog. Eu também era mais azeda quando criança, juro... Fui adoçando com o tempo, mas eu era terrível! hahaha Mas ainda bem que existe a amizade, né? Pra compartilharmos tudo e tals. Para nos tornarmos pessoas melhores... Adorei o texto. Viva os melhores amigos do mundo! >.< Beijão flor, boas energias para esse ano novo! ~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também quebrei. Porém, geralmente, foi meio que minha culpa por ir no papo de: "aaahhh, a gente só vive uma vez. YOLO"... humph, Yolo na cadeia, fala isso pra minha mãe ò.o
      Eu ainda sou meio que chata, admito, só que comparada a essa época eu sou um AN-JO <3
      Si8m, graças a Deus eles existem, não consigo me imaginar aguentando tudo sozinha D:
      Obrigada Ana, su linda, para tu também \o/

      Excluir
  4. Adorei esse texto, sou extremamente tímida com os desconhecidos. os amigos qu eu tenho são geralmente aqueles que estudaram comigo do CEF E CEM, hoje em dia eles queriam muito poder me fazer calar a boca, porque eu falo demais e não dou muito espaço pros outros. acho que se não fossem eles eu seria daquele tipo que entra atirando na escola e tals rs
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yeap, tu descreveu a minha vida. Sempre é assim, ai rola um: "Nossa, que desgraça, quando te conheci tu era mais quietinha, comportada...", psé, fio, quando tu me conheceu eu era TÍMIDA, mas continuava um ogro XD
      CEF e CEM? Seria fundamental e médio? e-e LOL, desculpa, sou meio lerda.

      Excluir
  5. Amei seu blog! Aceita um tag?
    AQUI
    Por favor poste sempre! ♥♥♥
    Dorimu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Asamiya \o/
      Fico contente por ter gostado! Owww, obrigada pela TAG, vou tentar responder assim que possível o//
      Podexa, que eu demoro, mas posto.

      Excluir
  6. Amei o texto, me identifiquei em algumas partes. Desde de criança nunca tive amigos, e se tive foram 1 ou 2, que quando cresci vi que não eram "amigos" e nem chegavam a ser dignos de ser chamados de "colegas" eram apenas conhecidos pra mim, que hoje em dia passam na rua, me olham e fingem que nunca me conheceram, é um pouco chato isso, bastante.
    Mas é a vida...
    Gostei do seu lado de ver a vida, ver os amigos, como age com cada um, até hoje ainda tenho minhas duvidas em quem confiar, mas mesmo assim, tenho alguém com quem eu tenho alguma confiança depositada...
    ...
    Bom, se percebeu ou não, o blog tava desativado a algum tempo, e agora ele voltou, se tiver vontade passa por lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sei como é, porque é exatamente assim que rola aqui na minha rua e é um tanto quanto desagradável (acho que é porque antes todo mundo era amigo, mas tanto faz né, melhor ficar sem coisas e pessoas que te deprimem).
      Isso que é importante, ter pelo menos um porto seguro.
      Yeay! Mabel, fico contente por ter voltado! o//
      Se bem que agora só poderei postar final de semana D:

      Excluir

Não saia sem comentar!
Comentando vocês nos incentiva a continuar postando e podemos saber de sua opinião quanto ao post e/ou o blog!

OBS: Por favor. Vamos manter a postura.
Sem xingamentos com palavras de baixo calão