14 de dez de 2013

ENEM


 Bem, eu sei que o ENEM já passou esse ano, e talz, mas ainda ainda ronda meus pesadelos durante a noite (principalmente, porque irei fazer de novo o próximo ano) e vou lhes contar sobre minha experiência de 4 a 5 horas de prova durante os dois dias que se passaram.

 Escute a trilha sonora da prova da Juliana enquanto lê esta postagem!

 O primeiro dia, na minha cabeça, seria o pior de todos pelo simples motivo de que eu sou uma pedra em química (e esqueço grande parte do conteúdo de geografia e tenho sérias dificuldades de prestar atenção em biologia), e como já era de se esperar: Fui horrível. Parte porque não estudei, fui só para saber como era e entrei de balão mesmo, e outra parte porque estava nervosa (quando trouxe a prova pra casa não parava de me xingar... "COMO EU ERREI ESSA COISA ESTÚPIDA?! MÃE, ME LEVA PRO HOSPÍCIO AGORA MULHER!").
 E onde eu fiz era uma universidade meio que confusa, quase que me perdi, mas fiz uma amiga lá (sim, conversei com uma garota lá, era muito simpática).
 Mas eu me ferrei, sabem? No meio da prova estava pensando e nem ir no dia seguinte e me perguntando quanto custava uma faculdade particular. Tinha coisas lá que eu nunca vi em minha vida e coisas que eu achava que eu sabia, mas, obviamente, estava super enganada. Saí de lá estressada e bolada com TUUUUDO isso.


 Contudo, tomei coragem suficiente e fui no dia seguinte com a cara e a coragem, pensando que não dava pra ficar pior.
 Mas era óbvio que dava para ficar pior.
 Além de errar coisas estúpidas de matemática, esqueci fórmulas e por pouco coloco na minha redação (sobre Lei Seca) a seguinte frase: "O único álcool que vale à pena ter dentro do carro é o que está dentro do tanque", mas ai eu pensei bem e cheguei a conclusão de que eles poderiam não ter senso de humor.
 No fim, acho que era mais sobre resistência e o quanto você consegue manter a calma.
 Enfim, este ano serviu de incentivo para estudar mais para o próximo (ou desistir de fazer faculdade, que eu nem estou querendo by the way, mas, enfim, tamos ae).

 Se vocês estão se perguntando de como eu reagi quando a prova chegou em minhas mãos... fiquem com este vídeo que representa tudo que senti:




12 comentários:

  1. Mas gente, a primeira vez sempre é a pior. Por céus, como eu me arrependi de não ter feito essa prova no segundo ano! Fui só no terceiro mesmo, a universidade que eu fui era enooooooooooooorme, tinha sei lá quantos blocos e não sei quantos andares, passei mal de nervoso nos dois dias. Foi horrível. Saí atrasada de casa... Olha, um inferno. Eu tinha estudado, mas estava insegura. Não consegui desenvolver a redação... Fui bem em tudo, menos na dita cuja. E eu ter tirado só dez nas minhas últimas redações na escola, não me deixou segura, mas insegura. Faz sentido isso?
    Dai não fiz mais nenhum vestibular. Motivo? Eu não estava pronta para a universidade. Quem quiser que falasse alguma coisa! u.u E fiz o vestibular de uma particular aqui e passei (esse ano). Serei universitária próximo ano de qualquer jeito. haha Fiz o enem novamente, bem calma. Mas imagine só? Não consegui desenvolver a redação novamente... Então o que irei fazer no próximo ano? Curso de redação! Aprender a soltar a franga! hauhauha
    Mas, assim, a segunda vez é mais tranquilo. Você já sabe como é a prova. E esperar que pegue um bom local. Uma escola ou faculdade pequena é o ideal. A que eu peguei esse ano foi assim. Tudo bem perto, rápido. Nada de stress. hahaha Mas enfim moça, terceiro ano é puxado, mas é só sabermos lidar com a pressão. O que não é fácil, mas também não é impossível. Desculpe pelo texto D:
    Boa sorte com isso, beijão e um final de semana mágico ~ *sinto a magia no ar* /parei hauhauha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, se leu a frase da minha redação? Como se acha que eu fui o resto da prova? XD
      Nem corrigi pra, sabe, conservar minha dignidade o máximo possível.
      Faz sentido, porque eu também só tiro nota alta nas minhas redações da escola, aí a criança vai pro ENEM e sai uma coisa dessas, LOL.
      Não sei se quero fazer faculdade, mas o problema é a minha mãe, que me colocou antes na escola e quer que eu use essa "vantagem", quando falei que queria fazer especialização em solda ela quis me matar... ainda quer XD
      Haaaaaaaaaaaaaaaaa então já era. Não me saio muito bem sob pressão.

      Excluir
  2. A minha situação foi tipo essa das 180 eu acertei 74 --' e minha redação ficou meio ruim (nem sei porque estava ali). Eu quero passar em medicina, mas eu ainda tenho 3 anos pra tentar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiinho, acho que das 180 eu não acertei nem 50.
      Os espíritos me abandonaram DDD:
      Continue tentando, daí eu continuo tentando aqui tb o//
      (ou eu vou acabar desistindo, sla... .-. )

      Excluir
  3. Este ano eu decidi, por mim mesmo, não fazer o ENEM. Mas pretendo fazer pela primeiro no ano que vem. Mas antes, vou estudar bastantes os testes passados, para me preparar de verdade. Acho muito engraçado essa menina! *-*

    ACESSO PERMITIDO. <3
    http://acessopermitidoblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu serei obrigada o próximo ano... vamos ver no que vai dar né.
      Nossa, queria fazer o mesmo que você, até porque o próximo ano vai estar muito corrido pra mim D:
      Eu adoro essa menina também (principalmente porque a revolta dela me lembra um pouco XD )

      Excluir
  4. Eu também fui horrível, eu não me prendo muito em fórmulas, sempre uso a lógica, ai eu fiz muitas coisas do meu jeito e outras usando fórmulas, quando fui corrigir a prova tudo que eu dei meu jeito eu tinha acertado agora usando a fórmula... Eu disse, se eu não conseguir uma nota boa eu vou fazer um curso técnico ou me dedicar em concursos.
    mas agora é só esperar sair o resultado... ah, eu odiei a redação.
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, tentei usar a minha lógica, SÓ QUE A MINHA LÓGICA É DE GENTE RETARDADA. Tipo a do NanoKid, olha só o meu raciocínio:
      "Bem, caraca, só vejo palitinho. Beleza, respira Ju, vamo lá. Huuummm, parece uma criança, beleza, pensa que é uma pessoa. O que a gente mais usa? As mãos, lógico. Pfffft, sou um gênio".
      Não sei como eu acertei.
      Também tô pensando em fazer cursos, não sei se tô a fim de fazer faculdade... tô em dúvida e nem sei que curso eu faria.
      É nóis que odiou a redação o// *high five*

      Excluir
  5. Caramba, sei que este é um post de desabafo, mas a verdade é que a forma como você se expressa é muito divertida (ashauhsa' desculpa se esta não era a intenção), ainda mais com o refrão "Tente Outra Vez" do Raul tocando ao fundo...

    Sabe, estou no primeiro ano do ensino médio e não quero passar nem perto de ENEM por enquanto (no ano que vem, quem sabe, como forma de treino e tudo mais). Ainda mais que ouvi dizer que esta última prova foi mesmo uma coisa de louco!

    Mas... não deixe de tentar outra vez.

    Beijos ♥ Jeito Único

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É que a gente pode escolher como contar uma história né, como essa é sobre a minha desgraça pensei que poderia pelo menos colocar um tom divertido XD
      Mas foi mesmo, menina, se já ouviu falar de um NanoKid? Rapá, pra mim coisa de palitinho tinha ficado pra trás nas aulas de arte.
      Vou ser obrigada a fazer o próximo ano, né, fazer o que. Que Jesuis me ilumine, porque num tá dando não.
      Vou virar hippie e viver de ervas no campo se tiver que descobrir mais uma cadeia de carbonos nessas provas.

      Excluir
  6. Vc ta certa, muito certa!
    Apoio vc, ano que vem esperemos que fazemos a prova em um palácio, castelo, em um ar bem geladinho!

    // Blog-Shounen \\

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ou que, pelo menos, a redação não tenha um tema idiota que nem este ano.
      Caramba, tanto tema legal ai e me vem com Lei Seca.
      Oi?
      Não, num admito uma coisa dessas u-u

      Excluir

Não saia sem comentar!
Comentando vocês nos incentiva a continuar postando e podemos saber de sua opinião quanto ao post e/ou o blog!

OBS: Por favor. Vamos manter a postura.
Sem xingamentos com palavras de baixo calão