31 de mai de 2013

"A Pequena Sereia" conto de Hans Christian Andersen


 O conto que baseou o filme da Disney - mesmo que tenha sido adaptado e modificado em muitos aspectos.

"A Pequena Sereia"
Conto de Hans Christian Andersen


 A Pequena Sereia é uma sereia dos mares, que vivia no reino subaquático com seu pai, Rei dos Mares, sua avó e suas cinco irmãs mais velhas, cada uma com somente um ano de diferença. E somente lhes é permitido nada até a superfície quando completarem quinze anos.
 Conforme as suas irmãs iam crescendo, indo a superfície, e regressando cheias de histórias, a Pequena Serei ficava cada vez mais curiosa sobre o mundo dos "seres humanos".
 E quando chega sua vez, ao ver um barco que naufragava no mar revolto, ela acaba por salvar o príncipe, ficando apaixonada por ele, mas o mesmo não chegou a vê-la por estar inconsciente.
 Quando sua avó, mais tarde, explica que os seres humanos têm uma alma eterna que, após falecerem, vivem eternamente no céu, enquanto uma sereia vive mais, porém ao morrer se torna espuma, a Pequena Sereia foi até a Bruxa do Mar, cobiçosa por uma alma eterna e o amor do príncipe.
 A mesma, a ofereceu uma poção que a tornaria humana, em troca de sua bela voz.
 Mas a poção tinha duas condições: Ela jamais poderia voltar a ser sereia e retornar ao mar, e a outra, era que ela somente conseguiria sua alma ao se casar com o príncipe e obter o beijo do amor verdadeiro, caso ele se casasse com outra pessoa, a Pequena Serei se transformaria em espuma na manhã seguinte.
 E ela aceitou. Além de que ao beber a poção ela sentiu como se mil espadas passassem pelo seu corpo e as suas pernas obtidas doerem muito (como se andasse constantemente sob facas afiadas), e ela ser muda, a Pequena Serei jamais conseguiu confessar seu amor pelo príncipe - mesmo que ela dançasse somente porque o agradava, mesmo com as dores angustiantes que sentia a todo momento.
 Por fim, o príncipe acaba casando-se com a princesa de um reino vizinho.
 As irmãs da Pequena Sereia (ao vê-la desesperada, desistindo de tudo de acredita, com o coração partido e ainda com a morte evidente) trouxeram-lhe uma adaga de prata que a Bruxa do Mar as havia entregue e disseram: "mate o príncipe com esta adaga e deixe seu sangue cair sob seus pés, e você não terá que morrer".
 Porém, a Pequena Sereia jogou a arma fora, não tendo coragem de matá-lo enquanto dormia, e se atira ao mar.
 Transformando em espuma, mas a mesma não desaparece por completo, tornando-se um espírito. Os outros espíritos, então, lhe contam que ela havia se tornado uma filha do ar, devido ao seu esforço e dedicação ao tentar ter uma alma eterna.

 Há quem diga que ela não o matou, porque isso a deixaria mais triste que sua própria morte, e que a mesma estava contente por ver o príncipe feliz.
A Pequena Sereia passou pela dor para se tornar humana, mas jamais deixou que isso a tornasse cruel como a Bruxa do Mar e acabasse por fazer coisas de que se arrepende-se, por mais que doesse sentir aquilo.
 E no fim, ela não sumiu por completo e alcançou seu descanso eterno.

2 comentários:

  1. Adoro esse conto, eu tenho um projeto escolar em que conta a verdade dos contos de fadas e a pequena sereia está no meio.
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também, só que prefiro mais o conto do Hans do que da Disney... Não sei o porquê XD

      Excluir

Não saia sem comentar!
Comentando vocês nos incentiva a continuar postando e podemos saber de sua opinião quanto ao post e/ou o blog!

OBS: Por favor. Vamos manter a postura.
Sem xingamentos com palavras de baixo calão